quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Acróstico subliminar









Acróstico Subliminar de Sobre nós- Poeta: Rui E.L. Tavares

Sobre o luar derramado na areia
Nós dois pisávamos e deixávamos nossos rastros
Só a lua solitária que parecia estar alheia
Me prateava, celebrando o espetáculo dos astros
Restou hoje a certeza de que aquela lua cheia
Escrever não podia; porém, tecia, em mimosos traços,
Uma chuva de estrelas formando, na luminosa teia,
Palavra (s) bordadas em que, entre outras, se destacava...
Saudade...

Jane Moreira


Então, a rosa



Então, a rosa

E a rosa, abandonada, sobre um livro já lido e relido
Vai murchando, sem afagos e cuidados
Como se o amor que, um dia, tivesse sentido
Não encontrasse eco num coração endurecido.


Jane Moreira



A rosa




A rosa

O poeta já dizia que a rosa é uma rosa, uma rosa, uma rosa...
Dentre todas, no jardim da vida, ela é a mais formosa.
Seu perfume tão sutil, sua postura de rainha
Emprestam ao poeta um vislumbre de inspiração.

Digo que a tenho na verve da poesia e da prosa:
Amor e paixão, ao vento, gritando dengosa,
Sinto que ela é só rosa; não é tua e nem é minha
É a rosa de ninguém, neste livro jaz inerte, sem razão...

Caro poeta, teu livro permanece, mas a rosa,
Assim arrancada, assassinada, não mais poderosa,
Hoje perdeu a graça e a beleza, morta e sozinha...

A rosa é a flor preferida, enaltecida, maravilhosa.
Não a toques, se não for para acaricia-la, a preciosa!
Ela é rainha, nem tua, nem minha, não é uma erva daninha.


Jane Moreira