domingo, 17 de junho de 2012

Dimensionando...



Dimensionando...

Diante da imensidão,
Sou grão de areia
Ou pensamento.
Apenas poeira,
Coisa de momento
Além da compreensão.
Num imenso tabuleiro de xadrez,
Onde sou só um peão,
Esperando a minha vez
De alcançar o topo, ou não,
Em busca de uma razão.

Jane Moreira

 



Além do sonho




Além do sonho

Minha alma vagueia no espaço,
Enquanto, por mim, a lua zela.
E é tamanha a emoção, que abraço
O lençol de astros que me vela.

O orbe, em perfeita sintonia,
É meu abrigo, minha tela,
Onde por paixão ou magia,
Minha mão versos pincela...

A noite avança, eu me confundo
Com as partículas do céu
E é nelas que eu me aprofundo.

Não há poesia mais forte
E que nem é deste mundo,
Que me impeça de ir além da morte.



Jane Moreira






O INVERNO



O Inverno

Sinto a chegada do frio
Em cada rajada de vento em rojão,
Em cada ausência do cio
E o rumor das flores em rebelião.

É o motim das flores, greve anual,
Mas não é do outono o funeral

E sim, da natureza,  hiato natural

Já não há folhas douradas no chão.
Despede-se o outono 

saudando a próxima estação.
Que chega na alvura de seu chão



Jane Moreira







FLAMINGOS (poemeto)



Flamingos
A nuvem cor - de –rosa,
Que baila no ar em harmonia,
Aterrissa no lago,
Feito enorme painel rosáceo...

Ao partir, juntam-se os retalhos,
Formando um tapete mágico,
Voando em sintonia,
Para voltarem na primavera, em romaria...

Jane Moreira






Perdidas palavras


Palavras perdidas,
que são ecos de alguém
e são os sons do espaço 
 invadem a quietude
de quem busca inspiração...
Na misteriosa amplitude,
 gemidos, lamentos,
são pedidos, sentimentos,
procurando ouvidos atentos.
E, como se entendesse
as palavras sentidas,
retalhos de vidas,
que ecoam no espaço,
o poeta, no mesmo compasso
e na mesma sintonia
compõe sua poesia,

Jane Moreira